Os sabores do centenário

08/06/2012 08:44

Bolo Katito, Leite Karinho, Ponchic, Pastelão e X-Tudo Especial são exemplos da tradição culinária do município.

Divinópolis, considerada a capital e pólo do centro-oeste mineiro, é nacionalmente reconhecida como capital da moda e fábrica de misses, além de possuir lugar de destaque no setor siderúrgico. No mês de comemoração de seu centenário, a Princesinha do Oeste, assim chamada por muitos, não tem somente esses motivos para se orgulhar. Além dos patrimônios artísticos, culturais, esportivos, políticos, industriais, entre outros, sempre lembrados em datas comemorativas, deve-se lembrar ainda que Divinópolis é famosa por suas guloseimas tradicionais.

A cidade, que já possui um festival gastronômico, o Prato da Casa, se destaca por seus bens culinários, tradicionais no município. Com décadas de história e “hour concours” na satisfação popular, certos alimentos se misturam com o modo de vida local e ajudam a construir as páginas do centenário. Alguns exemplos, que praticamente todo divinopolitano conhece ou experimentou, são o bolo Katito, o leite Karinho, o refrigerante Ponchic, o pastel da lanchonete O Pastelão, além do sanduíche X-Tudo Especial, do Dentinho’s Burguer. Estes produtos, tão tradicionais no nosso dia-a-dia, além de valorizar a culinária local fazem parte da história da cidade e de cada morador.

O Bolo Katito, um dos principais produtos da Padaria Divinópolis, surgiu na década de 1960. Em busca de um diferencial, a família de Maria Helena Corrêa, atual proprietária da padaria, criou uma receita de bolo e começou a incrementá-la com adições, surgindo então diferentes sabores, como coco, abacaxi e neutro. O bolo teve ótima aceitação do público, chegando até Belo Horizonte. A padaria chegou a vender mais de 1500 bolos em uma semana, distribuindo também por toda a região, em cidades como Morro do Ferro e Oliveira, entre outras.

Em 1967 a panificadora foi patenteada, o que estimulou a criação de novos produtos. Surgiram assim o Biscoito Katito e o Pão Sovado Katito. Seus concorrentes, vendo que a marca Katito havia ganhado espaço no mercado, começaram a usar o mesmo nome para venderem seus produtos. Mas, segundo Maria Helena, a iniciativa não foi bem aceita pelo público. “O sabor incomparável do bolo Katito deve-se à combinação de ingredientes e ao processo de produção artesanal”, diz. Ainda de acordo com a empresária, deve-se ressaltar a longevidade do produto, consumido com frequência ainda hoje, mesmo com tantas opções na área de panificação que a cidade possui. “Divinópolis está crescendo. Quando começamos só havia duas padarias na cidade e hoje há, aproximadamente, 165”, comenta.

Bebidas tradicionais


Hoje com cinco diferentes embalagens e três sabores, o Ponchic mantém-se como um dos mais queridos e consumidos refrigerantes em Divinópolis - Crédito: Amanda Silva

Outro produto genuinamente divinopolitano é o leite Karinho, que surgiu em 1954, quando produtores rurais da região se uniram, criando a Cooperativa Agropecuária de Divinópolis. O objetivo do surgimento da cooperativa foi garantir o pagamento pontual das produções dos ruralistas e, nas épocas de muita chuva, receber os preços mínimos por suas produções. Além disso, seus cooperados contavam com diversos benefícios, tais como adiantamentos de produções, financiamentos, convênios diversos, atendimento médico, veterinário, dentista, farmácias etc. A Cooperativa conta atualmente com a colaboração de mais de 1000 cooperados e, junto com os produtos Karinho, geram mais de 1200 empregos diretos e indiretos na cidade e região.

Kely Alves Viana, 31 anos, moradora de Divinópolis, disse consumir em média 24 litros de leite por mês. Ela afirmou comprar sempre o leite Karinho, pois seu sabor é o mais natural em comparação aos demais disponíveis no mercado.

Não há como falar de produtos alimentícios divinopolitanos e não mencionar o Ponchic, refrigerante que é uma espécie de ícone da cidade. Ele existe desde a década de 1940, quando a empresa com o nome de Distribuidora Nana foi fundada. Funcionando com um maquinário pequeno, teve sua produção impulsionada pelo sucesso entre a população desde o começo das vendas. Na década de 1960, o guaraná Divinópolis passou a se chamar efetivamente

Ponchic, nome referente ao ponche, uma bebida tradicional da época, e à palavra Chic, a partir de um bordão popular na cidade. Com um sabor inconfundível, pode-se dizer que o refrigerante Ponchic é tão popular em Divinópolis quanto a Coca Cola. Segundo seus consumidores, ele combina com tudo.

A fórmula do Ponchic é a mesma desde a sua criação, e seu rótulo é o mesmo desde 1992. Talvez esse seja o segredo de tanto sucesso. Em sua produção, o primeiro passo é derreter o açúcar, para depois misturá-lo a outros compostos. Com um quadro de 19 funcionários diretos e 18 indiretos, são produzidos cerca de mil refrigerantes por dia, em cinco diferentes embalagens e três diferentes sabores: guaraná, abacaxi e laranja. Eles são distribuídos em sete cidades do centro-oeste mineiro. A maioria dos funcionários possui laços familiares e mora próximo à fábrica, por isso é como se fosse uma grande família. “O que nos diferencia de nossos concorrentes não é o que fazemos, mas como fazemos” disse Tiago Lopes, um dos proprietários da empresa.

Lanches peculiares

Dificilmente encontra-se um morador de Divinópolis que nunca tenha se deliciado com o pastel da lanchonete mais famosa e tradicional da cidade, O Pastelão. Fundada há aproximadamente 27 anos pelo divinopolitano José Caetano de Oliveira, a empresa é referência em salgados e massas. O início foi em um pequeno cômodo comercial localizado na Avenida Sete de Setembro, no Centro. Hoje a rede O Pastelão conta com seis lanchonetes, localizadas em pontos estratégicos da cidade, e ainda um restaurante e uma indústria de massas. Apesar do sucesso do restaurante, dos salgados e pizzas, o produto mais vendido ainda é o tradicional pastel, disponível em 19 diferentes sabores. As guloseimas com recheio de carne, frango e napolitano são as mais requisitadas por seus fiéis consumidores.

Atualmente, O Pastelão tem um quadro de funcionários com aproximadamente 160 pessoas. Aguinaldo Vieira, supervisor geral da rede, trabalha na empresa há 21 anos. Ele afirma ser muito bem tratado por seus superiores e tenta

passar isso para os clientes, uma vez que o bom atendimento é exigido de todos os funcionários. O Pastelão já foi reconhecido por seis vezes como melhor empresa do ano em Divinópolis e recebeu, neste ano, uma homenagem da Câmara Municipal. Aguinaldo atribui tanto sucesso à qualidade dos produtos e diz que os principais ingredientes dos pastéis são amor e dedicação. “Além da relação comercial, existe também uma amizade entre nós e os clientes, pois procuramos atender todos muito bem”, disse o supervisor.

É destaque também na gastronomia local um dos mais famosos e consumidos sanduíches da cidade, o X-Tudo Especial, do Dentinho’s Burguer. O prato foi criado em 1994 por Ademir Severino de Oliveira, proprietário da primeira lanchonete com o nome, que chegou a funcionar em um trailer por cinco semanas, pouco tempo depois de sua abertura. A receita surgiu a partir da necessidade de se ter um prato típico da casa e do pedido de um cliente para que colocasse o X-Tudo no prato. Ademir gostou da sugestão e resolveu incrementar o sanduíche com lombo e frango. Porém, o prato ficou muito grande e uma pessoa não conseguiria comer sozinha. Logo, a solução foi dividir o sanduíche em dois pratos. A princípio, os clientes chamavam o sanduíche de X-Dentinho, devido ao apelido de seu criador. Porém, depois recebeu o nome de X-Tudo Especial, mantido até hoje.

Em pouco tempo, pessoas de toda cidade passaram a visitar a lanchonete, na época instalada no bairro Afonso Pena, para experimentar a novidade. Nesta época, Ademir chegou a vender cerca de 400 sanduíches em um dia. Com o passar dos anos, foram abertas novas lanchonetes e, atualmente, existem seis unidades Dentinho´s Burguer, localizadas em diferentes bairros de Divinópolis. Apesar de terem outros proprietários, todas as lanchonetes mantêm o X-Tudo especial no cardápio, com a receita original. Foi cogitada a possibilidade da abertura de filiais em outras cidades, mas a falta de mão-de-obra qualificada refutou os planos, já que a empresa zela pela qualidade.

Jussara Maria da Silva afirmou ser cliente fiel do Dentinho’s Burguer e disse que só pede o X-Tudo Especial quando está acompanhada de uma ou duas pessoas, pois ele é muito grande e todos ficam satisfeitos. O Dentinho’s

Burguer já recebeu três prêmios como melhor lanchonete da cidade. Ademir atribui o sucesso de seus lanches à qualidade e à “fartura”. “Na época, ninguém colocava milho e batata nos sanduíches, e todos os meus sanduíches, além de saborosos, tinham milho e batata”, conta. O prato, feito com os mesmos ingredientes desde a sua criação, faz sucesso entre pessoas de diversas faixas etárias e classes sociais.

________________________________

Reportagem produzida pelos alunos do curso de Jornalismo da Faculdade Pitágoras Divinópolis/MG: Amanda Silva, Mariana Moreira, Paula Rocha, Patrícia Emily e Willian Silva (2º Período)

Imagens: Amanda Silva, Mariana Moreira e Paula Rocha

Edição e Supervisão: Professor Ricardo Nogueira (MG 11.295 JP)

Voltar